Jornalista Jarbas Cordeiro de Campos

Minha foto
Belo Horizonte, Minas Gerais, Brazil
Jornalista formado pela FAFI-BH,especializado em Gestão de Sistemas e Serviços de Saúde pela ESPMG. "O Tribunal Supremo dos EUA decidiu que "só uma imprensa livre e sem amarras pode expôr eficazmente as mentiras de um governo." Nós concordamos."

22 setembro 2006

CACHORRADA DOS AMIGOS DO HOMEM


Clique na foto e acesse G1 e no titulo deste post para acessar o Reinaldo Azevedo. A partir do Aparte, você pode dar um giro pelo Brasil e uma meia volta ao mundo.
Estou tirando um pequeno recesso a partir desta sexta feira, 22 de setembro, quando estou saindo para dar banho nas minhocas na Represa de Três Marias. Enquanto descanso sugiro que acessem os links acima e os "Excelentes, ou mais", ai ao lado e abaixo. Acredito que irão gostar de nossos parceiros. Segunda feira, 25 de setembro, estarei de volta.Bom final de semana para todos.

12 comentários:

Eu, por mim mesma. disse...

querido amigo,

nao sabes o quanto fiquei feliz ao ler tua menssagem...
no dia em que escrevi, realmente, nao estava bem comigo. Mas suas palavras de consolo me confortaram muito, e nao seria justo com você que parasse de postar em meu blog. Não me sinto bem em ve-lo tao por dentro da realidade, monstruosa realidade. Essa sociedade é nojenta demais, é cruel. Me revolto quando assisto jornal e agora quando leio o que escreves.
E saber que com minhas palavras vc encontra um pouco de si, e ainda esquece um pouco desse seu mundo me faz muito bem. Assim, continuarei escrevendo, nem que seja pra você!
Abraços e sucesso!

Hermano Leitao disse...

Brazil. Corruption paid with not registered US dolars. Coordinators of Brazilian President campaing for re-election put into effect a criminal operation ranging from traffic of dolars to fraud information about oppositors. In fact, a Banco do Brazil director, some goverment authorities and some Lula da Silva "companheiros" collected thousands of dolars from US banks and brought them to Brazil without registering the operation in Central Bank, in order to pay a frauded "dossie" against oppositors.

Stella disse...

deixe os peixinhos na água:-)
quem sabe se o 2º turno não será o início da virada

José Alberto Mostardinha disse...

Viva:

Bom final de semana também para ti Jarbas.
... e boa pescaria :-)

Um abraço,

Saramar disse...

Hummm....
os peixes da represa devem tremer...eu quero um, certo?

vou ler tudo, obrigada pela indicação.

beijos e descanse bastante porque a próxima semana promete.

Helena de Tróia disse...

Meu querido,

Você sempre combatível! Seu blog demonstra toda seriedade.

Obs: A minha coluna de hoje Arte Incomum saiu com um brutal atraso lá no Miolo.Mesmo assim não poderia deixar de avisá-lo. Bjs

Santa disse...

Parabéns meu amigo! Excelente post!
Bjs

Guilherme Roesler disse...

Passarim, aproveite por mim! Abração, Guilherme

Anônimo disse...

No Pirata não temosesta seriedade toda. Meu negócio é afundar o navio de bandeira vermelha...hehehe. Venho agradecer sua visita e colocar a disposição minha munição, atualizada diariamente com muito ácido, pólvora e nitroglicerina.
Um grande abraço do Capitão,
http://opiratanet.zip.net

Blogue da Magui disse...

Boa pescaria .Esqueça do cumpanhêro noço lider.

José Manuel Dias disse...

Abordagem interessante...Parabéns pelo Blogue.
Abraço de Portugal.

Hermano Leitao disse...

Terrorismo de Estado

Hrmano Leitão

Em nome do projeto de permanência no poder, o Partido dos Trabalhadores lançou mão de táticas de terror mediante uso da máquina estatal, em flagrante desprezo à ordem institucional brasileira. Escudado pelo mito do líder popular que não se fragilizaria nem se ele desse uma surra na mãe sob uma câmera de um reality horror show, o PT invadiu sigilo bancário, usou eleitoralmente as ações do PCC, arapongou autoridades, forjou dossiê, traficou dólares, aliou-se a corruptos históricos etc, mediante requinte autoritário a la Fidel Castro ou Stalin. Em sua concertación eleitoral, centrou fogo contra os Estados do Sul e o Estado de São Paulo, sedes de resistência heróica à quadrilha lulo-petista. Diante desse quadro de terror estatal, as eleições serão apenas mais um capítulo subjacente, não o fim da história.

Tráfico de dólares

No caso da compra do dossiê fajuto contra os tucanos, dois fatos chamam mais a atenção. A um, o alvo petista era mais uma vez o Estado de São Paulo, onde o terror precisava ser instalado para o propósito derrotar os adversários. Foi um tiro no pé, como todos já sabem. A outro, e mais grave, é o fato de a mercadoria fabricada ter sido encomendada com parte do pagamento em dólares, que entraram clandestinamente no Brasil. A origem do dinheiro sujo dessa operação criminosa evidencia não só o modus operandi das autoridades do governo do PT contra a efetividade de institutos legais, tais como mecanismos de segurança contra a lavagem de dinheiro, mas, também, evidencia a falta de escrúpulos dos que se instalaram na máquina estatal para atingir objetivos rasteiros. No episódio da quebra ilegal de sigilo bancário do caseiro Francenildo, que ousou testemunhar contra o petista e ex-ministro Antonio Pallocci, a origem do dinheiro foi desvendada rapidamente. Agora, o Ministro da Justiça empurra a investigação da Polícia Federal para depois do primeiro turno das eleições – pode estar dando outro tiro no próprio pé.

O gangsterismo

Na edição deste final de semana, o editorial da revista Veja enquadra a compra do dossiê fajuto: “O episódio é fruto de desgoverno, da colonização do aparelho de estado por militantes petistas contaminados pela notória ausência de ética e moral da esquerda quando esquadrinha a chance de chegar ao poder – e, depois, de mantê-lo a qualquer custo. Sobre essa delituosa sopa primordial paira a figura complacente do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele se jacta de ter afastado os amigos, os companheiros de viagem política, ministros e funcionários de alto escalão pegos com a mão na cumbuca.” O diretor licenciado do Banco do Estado de Santa Catarina e analista de risco da campanha do presidente, Jorge Lorenzetti, o ex-diretor do Banco do Brasil Expedito Veloso, o ex-secretário do Ministério do Trabalho Oswaldo Bargas, e Hamilton Lacerda, integrante da campanha do candidato petista ao governo paulista, Aloizio Mercadante, todos confirmaram terem participado em algum momento das negociações espúrias. A tática, no estilo gangster, é “assumir o BO”, para livrar os chefes.
As eleições

O resultado das eleições, diante da ação criminosa (corrupção, abuso de poder e fraude) de autoridades do governo e de coordenadores de campanha de Lula e de Mercadante, é fato adjetivo, reveste-se de gravidade e estabelece o fato consumado da delinqüência contra o Estado de Direito. O quadro eleitoral já se altera vetorialmente para a derrota destes petistas – o presidente da república já sucumbe ética e moralmente na história das presentes eleições. A questão que se sobrepõe agora é o futuro das instituições democráticas. Lula será processado e julgado à luz da Lei e em sede judicial, onde o mito desce do Olimpo e ganha a natureza que lhe é compatível. Com ele desmistificado, o Brasil deve desde já vacinar-se contra o “demônio”, que ele disse recentemente possuir nas entranhas e que tem vontade de se manifestar quando contrariado.