Jornalista Jarbas Cordeiro de Campos

Minha foto
Belo Horizonte, Minas Gerais, Brazil
Jornalista formado pela FAFI-BH,especializado em Gestão de Sistemas e Serviços de Saúde pela ESPMG. "O Tribunal Supremo dos EUA decidiu que "só uma imprensa livre e sem amarras pode expôr eficazmente as mentiras de um governo." Nós concordamos."

10 outubro 2006

DEBATE ÉTICO: PEDIU E NÃO AGUENTOU. E AGORA LULA ?

Por Jarbas Cordeiro de Campos, jornalista, editor do Blog APARTE.

A propósito do debate deste domingo que passou, existem duas formas de vê-lo. Uma como quem está reportando e comentando os fatos e outra como analista político que comenta as conseqüências, fazendo juízo de valores. São dois jornalistas produzindo a mesma notícia de ângulos diferentes. Essa é uma característica do jornalismo em todo mundo. O que não perdoável é um jornalista se sujeitar a fazer jornalismo de empresa, do patrão, ai a coisa se complica, se confunde com a imprensa "marrom", servindo a interesses governamentais e/ou econômicos/financeiros privados com propósitos intervencionistas.

A partir da internet, da revista e do jornal on line, dos blogs e outras formas real time, surge o jornalismo independente, alternativo, mais opinativo do que a antiga imprensa nanica, hoje totalmente sem fronteira. É a liberdade de expressão e manifestação ganhando o mundo. É preciso muito cuidado. Estar antenado, a sintonia é fina, dada a pluralidade de opiniões. A adversidade tem que ser respeitada, senão será transformada em rixa pessoal, quando na realidade é apenas um confronto de idéias, o sempre e salutar contraditório que forma e informa e esclarece, permitindo melhor entendimento e tomada de decisões, seja no seguimento político, econômico, cultural, esportivo, ou qualquer formato segmentado da sociedade moderna. Todo jornalista se ainda não tem, vai ter um blog, pressupostamente independente, mas com todas analises e ilações repletas de seus juízos de valores.

Que o candidato presidente perdeu o debate é um fato. E fato é algo acontecido, testemunhado e de conhecimento de todos, certo! Tanto é verdade esta conclusão que hoje, esta semana, todos os membros do governo estão ocupados em desconstruir está verdade.
Insistem na mentira, repetindo exaustivamente até que ela possa parecer o que não é, verdade. Desta vez não dará certo. Vai ser outro tiro no pé, o Governo querer demonstrar o contrário dos fatos. Vai provocar indignação naquela pequena faixa de eleitores que lhe dá essa modesta vantagem. Contestar o incontestável é o mesmo que errar duas vezes. Como já dizia meu avô, mentira tem pernas curtas. Pediram, alardearam aos quatro cantos que queriam discutir ética e não resistiram, não tiveram argumentos suficientes para encobrir a montanha de fatos que denigrem a imagem deste governo e seu presidente candidato.

Querem e precisam mudar a pauta proposta por eles mesmos, mas não podem faze-lo sem antes dar as respostas para as perguntas que não querem calar. O que antes era “Agora é Lula”, virou E agora Lula ? Como sair desta ?

13 comentários:

jozahfa disse...

meu amigo jornalista. vc devia começar por buscar o conceito mais preciso de debate: uma discussão de idéias. vc está confundindo com embate ou combate. alckmim não ganhou o combate porque para isso o presidente lula não compareceu, mas perdeu o verdadeiro debate porque pra isso foi ele que não compareceu. um candidato à presidência não pode entender só de acusações. tem que ter proposições. o alckmim, no máximo, delegado de porta de cadeia, mas presidente da república? só se for no Iraque.

Eu, por mim mesma. disse...

oi meu querido... como vai?
nunca mais escrevi no meu blog.. falta de vontade.
nao quero me expor, por isso nao coloco fotos.
mas se quiser me passar seu msn eu te adiciono!
beijos

fabricio lima disse...

concordo com vc em genero, numero e grau.

Guilherme Roesler disse...

JARBAS, DE UMA OLHADA NISSO E FIQUE ASSUSTADO!! E É COM VERBA PUBLICA!!!

http://www.brasiliaemdia.com.br/2006/9/1/Pagina744.htm

Tiago Motta disse...

Concordo contigo e discordo da Jozahfa aí de cima. O debate serve também para que o candidato demonstre se pode ser confiavel ou não. No caso, Lula não conseguiu se explicar, e pior ainda, mentiu descaradamente. Bebia água nervosamente como se fosse a cachaça que tanto gosta. Além disso, demonstrou não saber sequer os dados do governo dele, o que mostra total despreparo. Já Alckmin, ao contrário disso mostrou firmeza e postura, mostrando o que fez em São Paulo e o que fará quando presidente. Geraldo Alckmin está de parabéns, aguardamos novos debates como este... isso se Lula não fugir.

Blogue da Magui disse...

Não acho que é debate de idéias .Eu " estou convencida"que é uma guerra e das mais meritórias.Tirar essa gang de ladrões contumazes é uma missão de todo homem de bem.Delegados de cadeia são fundamentais para tirar vagabundo das ruas.

jozahfa disse...

meus caros tiago e magui,
não adianta ficar com toda esta raiva do governo. não é ele o responsável pelas suas frustações. olhem para si mesmos com mais atenção. não faço parte da turma de vcs. não acredito na violência. nem a verbal. acho que esta postura de vcs esta perdendo espaço. vcs vão ficar decepcionados, já viram a última pesquisa datafolha?
de qualquer forma desejo que a vida de vcs melhore como melhorou para 7 milhões de brasileiros...

blogdopatrick disse...

É todo mundo dizendo que Lula perdeu o debate, mas o que vimos até o momento (nas pesquisas) é bem diferente. Escrevi hoje no meu blog sobre o início da propaganda eleitoral

José Alberto Mostardinha disse...

Viva Jarbas:

Uma coisa podes escrever.
Se o Alckmim ganhar as eleições, foi ele que as ganhou mas se as perder... também foi ele que as perdeu.
Não sei se esta terá sido uma oportunidade perdida atendendo á escolha do candidato alternativo a Lula.
A esta distância é-me impossível saber isso.
Mas que a eleição em teoria seria fácil para a oposição não tenho dúvidas atendendo ás tropelias cometidas pelo actual governo, o problema surge quando se pretende atacar a corrupção mas há no passado que quem isso defende algo que não bata certo com o discurso, aí o povo começa a perguntar-se e verifica-se que falta aquela margem fundamental para ganhar a contenda.

Um abraço,

Saramar disse...

Jarbas, a "ética" lulo-petista não resistiu ao primeiro debate e provavelmente não mais aparecerá em nenhum deles.
A tática de justificar-se, vendo o grão de areia os olhos dos outros não mais surte efeito, por isso, eles estão desesperados.
A cautela é essencial porque hienas assustadas são covardes e perigosas.

beijos e bom final de semana.

Hermano Leitao disse...

Eleição sob Suspeição

Hermano Leitão

Há duas semanas para o segundo turno das eleições presidenciais, paira no ar a suspeição sobre a legitimidade política de um dos concorrentes: de Luis Inácio Lula da Silva, que, pela lógica, parece ter mais possibilidades de angariar a maioria dos votos, em virtude de precisar de menos eleitores que Geraldo Alckmim. A origem do dinheiro que financiou a compra do dossiê fajuto contra o tucano, a utilização de dinheiro público para superfaturamento e distribuição de “cartilhas” de propaganda do governo, entregues ao PT, a participação do chefe de Estado na quadrilha do “mensalão”, o envolvimento de ministros e servidores públicos no golpe dos “sanguessugas”, o uso da máquina administrativa federal na campanha eleitoral, o terrorismo de boatos e mentiras, o uso do “bolsa família” em abuso de poder econômico, e tantos outros crimes podem revelar o mandante dessas “operações” depois do sufrágio eleitoral de 29 de outubro, bem como provocar a impugnação do mandato eletivo de Lula, caso seja eleito.

A origem do dinheiro

Como Lula não sabe da origem do dinheiro sujo? É acintosa não só a lentidão das investigações da Polícia Federal sobre a origem do dinheiro sujo na compra do dossiê, mas, também, a mentira de que Lula não sabia. Ricardo Berzoine, presidente do PT e coordenador da campanha de reeleição de Lula está envolvido até o pescoço com os petistas presos e teve conhecimento das operações. Freud Godoy, outro envolvido, era assessor especial de Lula. Jorge Lorenzetti, o churrasqueiro oficial de Lula, também envolvido, era o responsável pela “inteligência” da campanha, que, trocando em miúdos, organizava o terrorismo contra os opositores. Aloízio Mercadante, líder do governo no Senado e candidato derrotado ao governo de São Paulo, já não tem mais como negar seu conhecimento sobre o crime e sua participação também segue desnublada, porque Hamilton Lacerda, seu coordenador de campanha, já foi indiciado. Até o marido da secretária de Lula, o Osvaldo Bargas, se envolveu nesse terrorismo. E ainda tem aqueles outros sindicalistas da CUT (Gedimar Passos e Cia) que participaram ativamente do crime. Esse alopramento magnânime não seria comunicado – para não dizer arquitetado – pelo maior megalomaníaco deste país?

Abuso de poder

Há uma relação direta entre os eleitores de Lula e os beneficiários do programa “bolsa família”, conforme atestam os resultados das eleições de primeiro turno. Conforme divulgado pela Folha de São Paulo: “Nos Estados do Nordeste, entre 42,1% e 50% da população vive em famílias atendidas pelo Bolsa Família. Na região, 46% dos trabalhadores e beneficiários da Previdência recebem salário mínimo. Lula teve de 56,1% a 80% dos votos válidos no Nordeste, seus recordes. Na região Norte, onde o Bolsa Família atinge entre 26,1% e 42% da população e o salário mínimo, 31% dos trabalhadores e beneficiários da Previdência, Lula teve entre 44,1% e 68% dos votos válidos.” O problema é que o candidato petista usa o programa de transferência de renda para comprar votos, seja na veiculação em programa eleitoral, seja no terrorismo da boataria de que seu opositor vai acabar com o programa. Marta Suplicy e Tarso Genro comandam os boatos, além de explícito pronunciamento de Lula na televisão. É um flagrante abuso de poder econômico, pois influencia a disputa eleitoral e vicia a vontade do eleitor a ponto de desequilibrar o pleito.

"(...) 1. Configurada a conduta vedada (art. 73 da Lei no 9.504/97), incide a sanção de multa prevista no seu § 4o. Além dela, nos casos que o § 5o indica, o candidato ficará sujeito à cassação do registro ou do diploma. Não se exige fundamentação autônoma. 2. A Lei das Eleições veda 'fazer ou permitir uso promocional em favor de candidato, partido político ou coligação, de distribuição gratuita de bens e serviços de caráter social custeados ou subvencionados pelo poder público' (art. 73, IV). Não se exige a interrupção de programas nem se inibe a sua instituição. O que se interdita é a utilização em favor de candidato, partido político ou coligação. (...)" NE: "O e. Ministro Carlos Mário Velloso afirma, com propriedade que houve abuso do poder político. E houve. É sabido que as condutas vedadas são modalidades tipificadas do abuso do poder de autoridade. É o quanto basta." (Ac. no 21.320, de 9.11.2004, rel. Min. Luiz Carlos Madeira.)
Ferreira Gullar
Na Folha de São Paulo, Ferreira Gullar: “E como se não bastasse, veio o escândalo do dossiê, para espanto geral. E o que são agora os boatos de que Alckmin iria privatizar a Petrobras e o Banco do Brasil, senão a mesma guerra suja? Muita gente se pergunta: eles são aloprados? Não, não são aloprados; são corruptos, são viciados em corrupção. O debate da Band revelou outro escândalo: o autor da boataria das privatizações é o próprio Lula! É que eles não conseguem conter-se, como o escorpião que pica a jia, mesmo sabendo que vai afundar junto com ela. A corrupção é sua segunda natureza.”

Nat disse...

Jarbas,

Lula só sabe fazer debate etílico (risos).

Bjs

Serjão disse...

O pior é que agora deram para se fazer de vítimas. Acham que ofenderam o operariozinho coitadinho que veio do povo. Saíram com essa.