Jornalista Jarbas Cordeiro de Campos

Minha foto
Belo Horizonte, Minas Gerais, Brazil
Jornalista formado pela FAFI-BH,especializado em Gestão de Sistemas e Serviços de Saúde pela ESPMG. "O Tribunal Supremo dos EUA decidiu que "só uma imprensa livre e sem amarras pode expôr eficazmente as mentiras de um governo." Nós concordamos."

27 setembro 2007

LEGALIZAR AS DROGAS PARA ACABAR COM TRAFICO E COM A VIOLÊNCIA !

“E acho que já passou da hora mesmo de discutir esse assunto com honestidade. Capitão Nascimento põe sua vida em risco todos os dias para lutar uma guerra inútil contra o tráfico e responsabiliza os consumidores pela sua tragédia pessoal. Essa tem sido inclusive uma bandeira defendida por órgãos oficiais de combate às drogas. É lógico que há uma responsabilidade individual nisso, e eu conheço muita gente que deixou de fumar maconha para não alimentar o tráfico. Mas não creio que essa campanha seja mais eficaz do que a legalização do consumo. O uso de drogas existe desde que o mundo é mundo e não vai ser a repressão que vai acabar com o consumo. Mas a legalização pode acabar com o tráfico. Eu vejo o consumidor como o elo mais fraco da cadeia. Combatê-lo é contraproducente. O abuso e o vício devem ser tratados como problemas de saúde pública. O tráfico é que é questão de segurança pública. É o tráfico que arrasta os jovens de periferia para a morte e tenho certeza de que morre muito mais gente na guerra do tráfico do que de overdose. De que forma fazer, eu não sei, mas acho que já passou mesmo da hora de discutir o que me parece óbvio e acredito que o filme contribui com isso. Só mais um dado: sabe de quem partiu a idéia de legalizar as drogas na Holanda? Da polícia, parceiro.”
Wagner Moura é ator e protagonista do filme "Tropa de elite". Leia mais aqui.

3 comentários:

CAntonio disse...

A idéia não é má, mas quem controlará as "pharmácias" autorizadas? Militantes do petê ou os anistiados traficantes que já foram presos?

Bruna disse...

Tratar o consumo da maconha como caso de polícia só reforça o poder da bandidagem. Ha´algum tempo fiz um post sobre este tema ... há diferenças entre o "liberou geral" e a descriminalização, bem como entre drogas "leves" e "pesadas". Essa parada vem de longe, a humanidade sempre dependeu de substâncias psicoativas (vinho, por ex.) pra suportar o trágico da vida.

Cristina Lima disse...

Concordo com você meu caro. Embora ache que já chegamos num ponto tão crítico , que até Jesus Cristo acharia dificuldades para dar jeito.
Desculpe minha ausência, mas o trabalho ainda pesado e eu não sou do governo (rsrsrsr).
boa semana