Jornalista Jarbas Cordeiro de Campos

Minha foto
Belo Horizonte, Minas Gerais, Brazil
Jornalista formado pela FAFI-BH,especializado em Gestão de Sistemas e Serviços de Saúde pela ESPMG. "O Tribunal Supremo dos EUA decidiu que "só uma imprensa livre e sem amarras pode expôr eficazmente as mentiras de um governo." Nós concordamos."

14 novembro 2007

PSDB PERDE OUTRO BONDE

O PSDB mais uma vez perdeu o bonde e uma das melhores oportunidades de faturar com o bate cabeça do governo no Senado. Poderia ter capitalizado e ficado com os louros das mudanças no projeto que prorroga a CPMF até 2011, mas não chegou a um acordo interno e o bonde passou. As primeiras propostas de alteração foram feitas pelo Ministério da Fazenda especialmente para conquistar a simpatia da cúpula do partido. O temor era a possibilidade de o projeto ser derrotado no Senado sem o apoio da bancada do PSDB. Apesar de o “imposto do cheque” contar com o apoio dos governadores do partido, não houve consenso entre o governo e PSDB, e as negociações foram suspensas pelo Palácio do Planalto. Agora, o imposto criado durante o governo do presidente Fernando Henrique Cardoso, tucano da mais alta plumagem, caminha para a aprovação. Tanta demora e firula nas negociações deram tempo para que o governo se articulasse para tornar a CPMF mais simpática aos oposicionistas. A cautela ainda é grande e o Planalto só vai descansar depois que a CPMF passar definitivamente pelo plenário do Senado, até 31 de dezembro, prazo máximo para continuar sendo cobrada ano que vem. Mas a própria oposição já admite , ainda que somente nos bastidores, de que as chances do governo aumentaram muito com a proposta de redução gradual da alíquota da CPMF e de um limitador do crescimento dos gastos públicos. Além disso, deverá haver votos a favor do governo dentro do próprio DEM, partido que tem feito campanha nacional contra a CPMF, mas que dificilmente votará cem por fechado. Além disso, as promessas de liberação de emendas em ano eleitoral são sempre um atrativo a mais e são poucos que resistem ao canto da sereia das verbas orçamentárias.
Mais um bolo
A oposição tenta sem sucesso levar a ministra da Casa Civil Dilma Rousssef para falar sobre o PAC na Comissão de Desenvolvimento Econômico da Câmara. A primeira tentativa foi feita em fevereiro, logo depois do anúncio oficial do PAC. Depois, a ministra deveria ter ido em setembro, mas não apareceu. Ontem era a data do novo convite e ela também não deu o ar da graça. Alegou problemas de saúde. “Não cumprir acordo é muito sério. Esperamos por uma forte, clara e rápida posição do governo em esclarecer essa falta de compromisso assumido com a oposição”, cobrou o vice-presidente da comissão Vandelei Macris (PSDB-SP)
Quebra de sigilo
O juiz eleitoral Tiago Pinto acatou o pedido do Ministério Público Federal e concedeu liminar autorizando a quebra do sigilo fiscal e bancário da Agropecuária Rio do Norte S/A, empresa do ex-vice-governador Newton Cardoso (PMDB), acusada de doar recursos para a campanha dele e de sua mulher, a deputada federal Maria Lúcia Cardoso (PMDB), acima dos valores permitidos pela legislação. Na eleição do ano passado, a empresa doou R$ 2,9 milhões para Newton e R$ 40 mil para a de Maria Lúcia. “A quebra do sigilo fiscal vai revelar fatos armazenados na Receita, de cuja existência já não se discute. Com isso, negar a demanda buscada pelo Ministério Público Eleitoral, em caráter liminar, propiciará demora, sendo que, nada obstaria, em tese, que no curso da ação ela viesse aos autos”, afirmou o juiz em seu despacho.
Disputa pelo DEM
O presidente do DEM, deputado federal Rodrigo Maia (RJ) (foto), esteve em Belo Horizonte na quinta-feira para tentar um consenso entre os candidatos à presidência do partido no estado, mas não teve sucesso na empreitada. Tradicionalmente, o comando da legenda, ex-PFL, sempre ficou com a bancada federal, mas desta vez os deputados estaduais Jayro Lessa e Elmiro Nascimento também reivindicam o cargo. Entre os federais, a disputa é entre Marcos Montes, Carlos Melles e Vitor Penido. Como não houve acordo, já que nenhum dos candidatos manifestou intenção de abrir mão da disputa, a decisão deverá ser tomada pela direção nacional da legenda. A tendência é de que o comando fique nas mãos de Penido, mas a pressão dos outros candidatos é grande. A previsão é de que a legenda deve continuar sendo comandada por um representante da Câmara.
Nova sede
O PMDB inaugura na semana que vem o diretório municipal de Belo Horizonte, uma reivindicação de décadas dos peemedebistas da capital. Apesar de ser uma das maiores legendas do estado em número de filiados e diretórios, nunca houve representação na capital. Antes de virar diretório, foi zonal e comissão provisória, instâncias partidárias facilmente dissolvidas pelos caciques do interior. Mas a maior ironia da primeira sede oficial do PMDB da capital é que ela vai funcionar na Avenida Afonsa Pena, no mesmo local que abrigou o comitê central da campanha do prefeito Fernando Pimentel, na eleição passada. O presidente do PMDB da capital também é um dos pretendentes à cadeira de Pimentel.
Fonte: Jornalista Alessandra Mello, no Jornal Estado de Minas de hoje (Interina)

Um comentário:

guilherme roesler disse...

Passarim,

O PSDB está perdendo o bonde há muito tempos mesmo.

Abraços, Guilherme.